5 álbuns pop para animar e salvar sua quarentena

5 álbuns pop para animar e salvar sua quarentena
Divulgação

Às vezes passar por um momento tão singular quanto este que o mundo todo está vivendo com a quarentena, nos faz procurar formas de distração. Então, selecionamos 5 álbuns pop que podem te ajudar a enfrentar esta fase de uma maneira mais leve e divertida.

1. Future Nostalgia – Dua Lipa (2020)

Dua Lipa em Break My Heart (Foto: Reprodução)

Dua Lipa é bem mais que seu hitDon’t Start Now‘, palca da famigerada coreografia dos participantes do BBB20. Seu novo álbum, Future Nostalgia, é a prova de como o pop pode ser reinventado a cada momento, principalmente quando reflete referências tão clássicas como as dos anos dourados da era disco.

Logo de cara, a cantora já abre o disco recitando “Você quer uma música atemporal / Eu quero mudar esse jogo”. Os versos iniciais citam John Lautner, um renomado arquiteto norte-americano que ficou conhecido por seu trabalho ao mesmo tempo atemporal e futurístico. É justamente esse o efeito que Dua busca (e consegue transmitir) ao longo de seu novo álbum.

Do início ao fim, a cantora nos conduz a uma viagem de delicadeza, sons, batidas e uma atmosfera dançante que faz a gente querer ouvir o álbum em looping. Completamente viciante, é fácil se conectar com todas as músicas, além de ser muito interessante notar as referências de Gwen Stefanie e Blondie, apontadas pela cantora em várias entrevistas.

A estética do álbum e a proposta temática é clara: fazer seu público dançar em um som nostálgico e, ao mesmo tempo, futurístico. Esta foi talvez a maior afronta à dominante estética pop desde o fenômeno de Billie Eilish no ano passado.

  • Nossas favoritas: ‘Boys Will Be Boys‘; ‘Good In Bed‘ e ‘Break My Heart‘.

2. Forever Neverland – MØ (2018)

Divulgação

Em 2018 a cantora e compositora dinamarquesa MØ apresentou ao mundo um álbum que mesclou pop alternativo/indie e músicas comerciais/mainstream, basta comparar a minimalista ‘Trying To Be Good‘ e ‘Nostalgia‘.

O disco mostrou o amadurecimento sonoro da cantora que, mesmo se reinventando e buscando seu lugar ao sol vacilante. Os grandes momentos, porém, acontecem quando MØ compõe sem pensar nas massas. É aí que entra ‘Blur‘, que começa com um violão puxado para o grunge e, quando você menos espera, a dinamarquesa capricha no auto-tune acompanhada por beats tribais.

Com músicas inspiradoras e batidas únicas você pode curtir nesta quarentena as 13 faixas que produzem os mais diferentes sentimentos e, com certeza, irão te ajudar a expressar seus sentimentos neste momento complicado.

  • Nossas favoritas: ‘Blur‘; ‘Sun in our eyes‘ e ‘Purple like the summer rain‘.

3. Labrinth, Sia & Diplo Present… LSD – (2019)

Divulgação

O grupo composto pelo músico e compositor inglês Labrinth, a cantora e compositora australiana Sia e o Dj e produtor musical norte-americano Diplo, surgiu em 2018 com a proposta de apresentar um novo mundo musical. O resultado foi este álbum incrível, dançante e inspirador com a junção do que cada um dos integrantes tem de melhor.

O disco é composto por 10 faixas e tem como singles as canções “Audio”, “Genius” e “Thunderclouds”, esta última é dona de um dos clipes mais bonitos de todo o trabalho. A proposta de LSD é soar esteticamente como a cultura Hippie, popularizada nos anos 60, mas com uma pegada musical super atual, mesclada com referências do Blues.

Além das músicas, o trio apresentou um jogo ambientado no universo que eles idealizaram para o disco como parte do material de divulgação. Ele ainda está disponível e é possível jogá-lo utilizando sua conta do Spotify.

  • Nossas Favoritas: ‘Angel in Your Eyes‘; ‘No New Friends‘ e ‘Genius’.

4. 111 – Pablo Vittar (2019)

Divulgação

Divido em duas partes, com algumas músicas apresentadas em 2019 e o restante agora em 2020, Pabllo Vittar mostra como é possível construir um ep incrível com hits de letras simples combinados com batidas marcantes.

O álbum é recheado de parcerias com artistas de diferentes estilos (Ivete Sangalo, Charli XCX, ThalíaPsirico e Jerry Smith) e Pabllo se entrega completamente na sonoridade regional que consegue atingir o público para além dos LGBTS.

Esse álbum se chama 111 por conta do meu aniversário, 1 de novembro. Foi exatamente isso que quis trazer com ele, uma playlist que você toca no seu aniversário,” explicou Vittar em entrevista para Rolling Stone Brasil. “Uma grande mistura que representa o que sou, o que gosto e o que consumo! Por isso, começa com “Parabéns” e termina com “Rajadão”, passeando por vários estilos no caminho. Não sei a de vocês, mas as minhas festas de aniversário seguem essa linha! [Risos] Começa mais tranquila e termina na fritação!

  • Nossas Favoritas: ‘Parabéns‘; ‘Flash Pose‘ e ‘Rajadão‘.

5. Rare – Selena Gomes (2020)

Divulgação

O terceiro álbum da carreira da nossa eterna feiticeira de Wavely Place, desde o lançamento, coleciona inúmeras críticas positivas e é considerado o melhor álbum de sua carreira.

Um relato íntimo e sincero sobre sentimentos e experiências pessoais, em Rare, vemos o amadurecimento e o encontro artístico da cantora. Do momento em que tem início, na autointitulada faixa de abertura (“Você não faz o mesmo por mim, isso não é justo / Eu não tenho tudo / Eu não estou reivindicando / Mas eu sei que sou especial“), até alcançar a colaborativa A Sweeter Place, música de encerramento do álbum (“Coloquei os dois pés no chão e senti o que é real / Como foi / Vivendo fora de cena, em estado selvagem / Aprendendo a respirar“), cada fragmento do disco reflete com naturalidade os conflitos, medos e vivências da artista norte-americana.

  • Nossas favoritas: ‘A Sweeter Place‘; ‘Cut You Off‘ e ‘People You Know‘.

Essas foram as nossas sugestões! Quais desses álbuns já fazem parte da sua playlist de quarentena e quais não apareceram aqui e você acha que todo mundo ouvir? Comenta lá no nosso Instagram e na nossa página do Facebook.


Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.