O Gambito da Rainha é baseado numa história real?

O Gambito da Rainha é história real?
Netflix/Digulgação

A série da Netflix narra a história de Beth Harmon, campeã de xadrez em sua difícil jornada para o estrelato.

Houveram muitos superstars no mundo do xadrez. De Bobby Fischer a Garry Kasparov e Magnus Carlsen, os jogadores chegaram às manchetes em todos o mundo e encontraram o tipo de fama que costumava ser exclusiva para estrelas de cinema e campeões esportivos.

Beth Harmon é um pouco diferente. Isso porque Harmon – protagonista de O Gambito da Rainha, a série glamurosa, corajosa e absolutamente cativante da Netflix – é uma personagem fictícia. Ela foi idealizada pelo autor Walter Tevis para seu livro de 1983. Mas isso não significa que tudo o que vimos na série seja completamente imaginário.

O que é história real no mundo de O Gambito da Rainha? Nós investigamos.

Beth Harmon é uma personagem fictícia

Beth Harmon é real?

Netflix/Divulgação

A personagem, interpretada por Anya Taylor-Joy, foi criada por Tevis para seu livro e, no momento histórico que utilizou como referência – o circuito competitivo de xadrez da metade do século XX – não haviam muitas mulheres mundialmente famosas nos jogos para que ele pudesse se inspirar. 

A campeã de xadrez húngara Judit Polgár poderia ter sido uma referência, mas ela só conquistou o título de Grã-Mestre em 1991 (sua irmã, Susan Polgar, também recebeu o título no mesmo ano). Quando trazemos o vício de Beth para o cenário, vários especialistas em xadrez comentaram que não acreditam ser possível qualquer campeão de xadrez lidar com lutas como esta ao mesmo tempo em que joga em um nível tão alto. “Não posso dizer que já ouvi falar de um jogador ou jogadora de xadrez que utilizasse Valium – um ansiolítico tão forte”, disse a campeã de xadrez Jennifer Shahade ao New York Times.

Mas a série utilizou conhecimentos de um especialista

Eu produzi o filme ‘Searching for Bobby Fischer’, e uma das pessoas que conheci durante a produção foi Bruce Pandolfini, um Grã-Mestre do xadrez”, contou William Horberg, produtor executivo da série. “O personagem que Ben Kingsley interpreta nesse filme é baseado nele. Pandolfini foi o primeiro cara para quem liguei quando Scott Frank [editor e diretor] e eu finalmente decidimos revisitar aquele projeto. Eu o convidei para almoçar e descobri que ele havia sido contratado pela editora de Walter Tevis para ser consultor do seu livro. Foi um momento muito animador quando descobri que ele já tinha uma conexão com o autor e o material original que iríamos trabalhar. Ele até ajudou no título”.

Então, Pandolfini ensinou os membros do elenco de O Gambito da Rainha a jogar xadrez – “ele é o padrinho do xadrez e eu o adoro profundamente”, contou a estrela da série, Anya Taylor-Joy, `T&C – mas isso não foi tudo o que ele ofereceu para a produção.

De acordo com Horberg, Pandolfini também emprestou seus conhecimentos da vida real para a representação do mundo do xadrez competitivo de alto nível em meados do século XX para que a série pudesse se ater aos elementos principais daquele lugar no espaço e no tempo.

Ele viveu essa época, conheceu Bobby Fischer e esteve envolvido na famosa transmissão Fischer-Spassky de Reykjavik de 1972 como comentarista

disse Horberg.

E precisaram de mais de um especialista

Pandolfini também contribuiu para que a série fosse o mais real possível. “Através de Bruce, fomos apresentados a Garry Kasparov, que provavelmente é o maior jogador de xadrez de todos os tempos”, contou Horberg. “A coisa mais bonita sobre Garry é que ele não apenas nos serviu como consultor, mas ele tem uma história muito parecida com a da personagem principal”.

O Gambito da Rainha: História real?

Netflix/Divulgação

Kasparov atingiu a maioridade quase que na mesma época que Beth Harmon e também era uma criança prodígio que esteve em destaque. “Ele teve muito a contribuir com a construção individual da personagem, sobre como é ter 7 ou 10 anos e ser um gênio, tirado das circunstâncias normais de crescimento e ter sua vida completamente mudada – dinâmica familiar, ir a torneios, etc”, contou Horberg. “Isso foi ouro para nós”.

Os atores usaram jogadores de xadrez reais como inspiração

O ator Harry Melling, que interpreta o campeão de xadrez de Kentucky, Harry Beltik, na série, observou que, embora as personagens do programa sejam fictícios, não é difícil ver onde o romance e a série encontraram inspiração na vida real. “[Tevis] obviamente usou personagens como Bobby Fischer e outras figuras conhecidas desse universo para ajudar na construção da história, mas esta é uma peça de ficção”, disse ele. “O romance de Walter e a adaptação de Scott exploram essa narrativa e fazem você pensar que deve ser uma história real porque parece muito verdadeira”.

Ainda assim, um pouco de magia da TV foi necessária

Enquanto as viagens de Beth a levam da sua cidade natal, Lexington, no Kentucky, para Nova York, Paris, Cidade do México e até mesmo Moscou, a série fez a maior parte das filmagens em uma cidade que nunca fez parte da história como ela mesma: Berlim.

O Gambito da Rainha é baseado numa história real?

Netflix/Divulgação

Horberg contou: “Berlim era contra intuitivo porque não há um momento da narrativa que se passa lá, mas acabamos escolhendo a cidade para todos esses outros lugares que Beth visita. Quando paramos para pensar sobre isso, Berlim foi destruída e reconstruída nas décadas de 1950 e 60, então, é uma tela enorme de uma grande variedade de arquiteturas enraizadas naqueles pós-guerra e período modernista. O fato de termos encontrado uma palácio da Asteca e um cassino de Las Vegas dos anos 1960 foi um presente que fez de O Gambito da Rainha parecer baseado numa história real”.


Gostou? Aproveita e assiste esse vídeo do youtube da Netflix com 10 coisas que você não sabia sobre O Gambito da Rainha!

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.